26 de setembro de 2018

Minha Carteira PGBL

"Successful hedge funds will be entrepreneurial; it is the essence of the craft." 
(Paul Singer)

Olá meus amigos da blogosfera financeira, tudo bem? Em continuidade a postagem Por que os PGBLs se tornaram mais competitivos?, eu apresento a composição da Carteira de PGBL mostrando o percentral de cada fundo e um pouco do racional de cada gestor. 

Atualmente, os fundos que compõem a carteira de PGBL são:
Minha Carteira PGBL

CA INDOSUEZ PREVIDÊNCIA  FIRF REFERENCIADO DI CP (45%)


Fundo de Renda Fixa de Cŕedito Privado, que possui o CNPJ: 12.796.193/0001-18, a taxa de administração é 0,8% ao ano e a aplicação mínima inicial é de R$ 10.000,00. 

Basicamente, este fundo investe em títulos de dívida emitida pelas maiores empresas do país (Lojas Americanas, Light Energia, etc)  e dívidas de bancos (Bradesco, Banco ABC, Sofisa, Daycoval, Haitong, Safra) de forma bastante pulverizada. Desta forma, é possível obter uma rentabilidade de 100% do CDI nos últimos 24 meses, com uma volatilidade de 0,20% nos últimos 12 meses.

Esta parte da carteira de renda fixa não é para ter uma rentabilidade espetacular, porém se fosse fazer uma analogia a um time de futebol esta parte cuida da defesa, para o time não levar gols do adversário.

VERDE AM ICATU PREVIDÊNCIA (35%)


Fundo de Previdência Multimercado com Média Volatilidade, que possui o CNPJ: 23.339.936/0001-47, a taxa de administração é 2,0% ao ano e a aplicação mínima inicial é de R$ 30.000,00.
 
A criação de um fundo de previdência pela Verde Asset, gestora de Luis Stuhlberger, é um oásis em meio à indústria de pior qualidade do universo dos investimentos. Se você não conhece o gestor, recomendo a leitura desta entrevista que o Investidor Ingles publicou.

Desde 1997, quando foi criado, o Verde rendeu 13.021%, contra 1.647% do CDI. O portfólio somente perdeu para o CDI duas vezes: em 2008 e 2014.  No primeiro, ano de crise global, teve prejuízo de 6,4%. No segundo, ganhou 8,8%. Não há nada igual na indústria.

E como o Stuhlberger consegue isso? Em primeiro lugar ele antecipa magistralmente tendências, especialmente em câmbio. E, em segundo, tem consciência de suas limitações para prever o futuro e estrutura proteções para o portfólio. O fundo Verde Previdência não é, infelizmente, um fundo gerido pelo Stuhlberger, mas sim por sua equipe, especialmente por seu braço direito, Luiz Parreiras.

Há ainda os limites da regulamentação de previdência. Algumas proteções não podem ser montadas e é vetada a montagem de posições vendidas, que ganham com a desvalorização dos ativos. Apesar das limitações, de acordo com a equipe da Verde, o fundo de previdência segue os princípios gerais que a gestora tem para todos os fundos. Se, em algum momento, houver uma exposição pesada em bolsa casada com uma proteção que não puder ser replicada na carteira de previdência, a posição em bolsa estará também no fundo de previdência, só que em menor quantidade, ou apenas com as ações mais defensivas.

Parece óbvio, mas é preciso reforçar no caso da previdência: a vantagem do Verde começa pelo fato de não ficar concentrado somente na renda fixa. Além de operar juros, o fundo pode ter posições em moedas e bolsa. É um mix muito mais interessante para o longo prazo.

Leia a carta mais recente do gestor aqui e, se fosse fazer uma analogia a um time de futebol esta parte cuida do meio de campo, para o time aproveitar o cenário macro para impor o ritmo de jogo ao adversário.

ALASKA 70 ICATU PREVIDENCIÁRIO FIM (20%)


Fundo Previdenciário Multimercado Renda Variável que possui o CNPJ 29.722.458/0001-36, a taxa de administração de 1,5% ao ano e a aplicação inicial mínima é de R$ 30.000,00. 

O fundo terá exposição fixa de 70% em ações e 30% em ativos de renda fixa. Sua carteira de ações terá a mesma composição dos fundos da família Black, em especial o fundo Alaska Black Institucional FIA. A equipe de gestão principalmente o Henrique Bredda e o seu mentor Luiz Alves Paes de Barros.

Luiz Alves defende que a bolsa vive de ciclos, em uma correlação que não parece tão intuitiva: Produto Interno Bruto (PIB) baixo, bolsa em alta. Com a economia animada, têm início os IPOs (aberturas de capital), as empresas começam a comprar maquinário, a não distribuir dividendos... E aí a bolsa cai, diz o veterano. Belo recado para quem está esperando a economia se animar para mergulhar na bolsa, não? Você pode chegar atrasado.
.
Outro charme da carteira do Alaska é que ela é pouco correlacionada com a do restante do mercado. Entre as maiores posições estão Sonae Sierra Brasil, São Carlos, Magazine Luiza e Cosan Logística, que o gestor vê como um veículo de investimento em Rumo. Enquanto a maior parte dos gestores se concentrava em 2016 em Itaú, Renner e Cielo; Luiz Alves pesava a mão em Rumo, Magazine Luiza e Sanepar. Talvez por conta de sua grande e antiga posição em Comgás, Luiz Alves é tido como um grande adepto do buy and hold,  mas a verdade é que ele gira bastante a carteira.

Agora a gestora está analisando o tema commodities. A tese é que, depois de apanhar por seis anos, pode ser que o segmento engate um novo ciclo. Os fundos da casa já têm Fibria, Klabin e Braskem dentre as empresas que devem ganhar com a tese.

O fundo de ações precisa ter pelo menos 67% do patrimônio investido em bolsa. Com o resto, pode investir em qualquer ativo. “Assim não vamos precisar devolver o dinheiro do cotista se acharmos que a Bolsa vai para o saco”, explica Henrique. Mais detalhes no vídeo abaixo:


Ao fazer uma analogia a um time de futebol esta parte cuida do ataque, para o time marcar gols necessários para ganhar o campeonato de pontos corridos (independência financeira). 

Conclusão


Como vocês podem observar, atualmente eu utilizo o esquema 4-4-2 na carteira PGBL, sendo que se o cenário se tornar mais positivo após as eleições presidenciais eu posso mudar para o esquema 4-3-3. Entretanto, se o cenário tenebroso vier a tona, é possível que eu arme uma retranca no meu time para evitar perdas.

As informações acima não constituem dica de investimentos, por favor avalie cada fundo de investimento é adequado ao seu perfil.

Espero que tenham gostado, grande abraço e até a próxima.

4 comentários:

  1. Nao é mais vantajoso colocar tudo em tesouro direto ntn-b?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo, obrigado pela visita.

      Conforme foi explicado na postagem https://oaportadorfinanceiro.blogspot.com/2018/09/por-que-os-pgbls-se-tornaram-mais.html, as NTNBs deveriam render 74% a mais em 10 anos para superar o PGBL.

      Grande abraço

      Excluir
    2. Nossa, tudo isso? achei que eles aplicassem tudo em titulos publicos entao me enganei devem investir em bolsa tbm

      Excluir
  2. Olá, Aportador!

    Vc tem acompanhado o histórico de rendimento da sua carteira frente à benchmarks? Está satisfeito com ele?

    Abraço!

    ResponderExcluir